Mundo Mulher

/

Especialista alerta sobre problemas de audição nas festas de final de ano

19/12/2012

 

 

Na chegada do Ano Novo, as pessoas acabam entrando na vibração de festejar com alegria, músicas com volume muito alto, fogos de artifícios, buzinas, entre outros ruídos e acabam esquecendo que tudo isso é prejudicial à audição. Esses barulhos podem causar, inicialmente, zumbidos e incômodos, que já são um alerta para a fadiga do nervo auditivo.

 

A Dra. Cristiane Passos Dias Levy, otorrinolaringologista do Hospital Paulista, comenta que o índice da organização Mundial de Saúde (OMS) é que o volume nunca ultrapasse os 75 decibéis. “A nossa voz já alcança entre 40 e 60 decibéis e a buzina de um carro pode chegar a 100 decibéis”, explica. Imaginem o que os fogos de artifícios para comemorar a chegada do Ano Novo podem causar aos ouvidos.

 

A exposição ao som alto, por um longo tempo, também podem acarretar em sintomas como ansiedade, alteração de humor, irritabilidade e hipertensão arterial, contribuindo para a perda auditiva gradual. Porém, a princípio, as pessoas não se dão conta do problema.

 

Mas o que pode ser feito? A principal medida é a prevenção. Não ficar muito próximo à fonte do ruído e nem se expor ao barulho elevado repetidamente. É importante ter períodos de silêncio para relaxar o nervo auditivo.

 

Para finalizar, o especialista alerta para a importância de procurar um médico especializado periodicamente para avaliar se existe alguma perda de audição e realizar exames específicos. Apenas o médico poderá diagnosticar e tratar da forma mais adequada.

 

 

Sobre o Hospital Paulista

 

Fundado em 1974, o Hospital Paulista ampliou competência para outros segmentos, durante sua trajetória, com destaque para Fonoaudiologia, Alergia Respiratória e Imunologia, Distúrbios do Sono, Halitose, procedimentos para Cirurgia Cérvico Facial, bem como Buco Maxilo Facial.

 

Em localização privilegiada (próximo ao Metrô Vila Mariana), possui 42 leitos, dois de UTI e 10 salas cirúrgicas, realizando em média, por mês: 600 cirurgias, 7.500 consultas no ambulatório e Pronto Socorro e, aproximadamente, 1.500 exames especializados.

 

Referência em Otorrinolaringologia e com alta resolutividade, apresenta índice de infecção hospitalar próximo à zero. Dispõe de profissionais de alta capacidade, professores-doutores, sendo catalisador de médicos diferenciados e oferece excelentes condições de suporte especializado 24 horas.

 

 Andréa Pires  - Soraya Simón - andreapires@acpcomunicacao.com.br - ssimon@acpcomunicacao.com.br


 

Mundo Mulher
Mundo Mulher
Mundo Mulher
box_veja